Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Tiro que matou menino na Zona Sul do Recife partiu de arma de PM

Casa do garoto de 10 anos atingido por bala perdida em Jaboatão, PE. (Foto: Kety Marinho / TV Globo)A Polícia Civil indiciou um policial militar de 28 anos pela morte de um menino de 10 anos, ocorrida no último mês de maio, no bairro de Jordão Baixo, Zona Sul do Recife. O garoto foi baleado na cabeça, quando estava sentado no sofá de casa, durante troca de tiros entre policiais e bandidos. O inquérito foi concluído, nesta terça-feira (5), após o delegado Paulo Furtado receber um laudo do Instituto de Criminalística (IC). "Ele mostra a dinâmica, o direcionamento do projétil que atingiu a vítima, apontando que ele saiu da arma do policial. Testemunhas e o exame de balística também ajudaram na conclusão do inquérito", explicou.

O investigado foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Ele não teve o nome divulgado pela Polícia Civil. O inquérito será encaminhado ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que pode denunciá-lo à Justiça. "Ele não está preso. Não cabe prisão nem preventiva nesse caso, porque foi culposo. Se for condenado, ele pegará penas alternativas", disse Furtado.

O garoto foi baleado na noite do dia 6 de maio, durante operação de combate ao tráfico no bairro. Segundo a Polícia Militar, agentes do Grupo de Ações Táticas Itinerantes (Gati) foram recebidos com tiros pelos suspeitos. Durante o tiroteio, o menino foi atingido na cabeça. Ele morreu na manhã seguinte, no Hospital da Restauração, no Derby, área central da capital.

Na época do crime, a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) instaurou uma sindicância para apurar as circunstâncias do tiroteio e investigar os policiais militares envolvidos na ação. Procurada nesta terça pelo G1, a SDS informou por meio de nota que aguarda a cópia do laudo pericial do IC para concluir o procedimento, "responsabilizando o policial militar autor do disparo que vitimou a criança".

Em maio, a assessoria da SDS informou que os PMS que participaram da ação continuaram trabalhando normalmente nas ruas. Nesta terça, a Polícia Militar foi procurada, no entanto, não informou se o policial indiciado continua ativo na corporação.

0 comentários: