Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Justiça dá prazo até as 19h para manifestantes desocuparem reitoria

O prazo é até as 19h desta quarta-feira para os manifestantes desocuparem a sede da reitoria da Universidade Federal de Pernambuco. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press

A Justiça deu um prazo até as 19h desta quarta-feira para os manifestantes desocuparem a sede da reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). De acordo com os estudantes e sindicalistas, o grupo tem uma reunião marcada para as 17h com o reitor Anísio Brasileiro. A UFPE avisou que às 16h o gestor dará uma entrevista coletiva sobre a situação. Caso não haja acordo, a Polícia Federal (PF) já foi acionada para realizar a retirada das pessoas, já que trata-se de um prédio público federal. 
Estudantes se concentraram na entrada do prédio, com rostos cobertos por camisetas. Foto: Mayra Cavalcanti/DP/D.A Press
A liminar de desocupação foi concedida no início da noite de ontem pelo juiz da 3ª Vara da Justiça Federal, Tarcísio Correa Monte, em resposta ao pedido de reintegração de posse apresentado pela Procuradoria Regional Federal. Apesar da determinação judicial, comunicada por um oficial de Justiça, os ocupantes optaram por não assinar o recebimento da liminar e por permanecerem na reitoria. O prazo para a desocupação termina no começo da noite desta quarta-feira, podendo a Polícia Federal (PF) entrar em ação para retirar os manifestantes. Por ter um efetivo pequeno, existe a possibilidade da PF solicitar o apoio da Polícia Militar de Pernambuco para cumprir a ordem do magistrado federal.

Durante toda a terça-feira, segundo o reitor Anísio Brasileiro, integrantes da reitoria tentaram negociar com estudantes e técnicos. O impasse foi sobre o lugar escolhido para a reunião.  Enquanto o reitor indicava um lugar neutro, a exemplo da própria escada ou térreo da reitoria, os ocupantes queriam que fosse no gabinete.

Cartazes cobram entrada da reitoria da UFPE. Foto: Mayra Cavalcanti/DP/D.A Press

Os estudantes e técnicos protestam contra a decisão do Hospital das Clínicas de aderir à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Para os manifestantes, essa mudança significa a privatização do hospital e querem que a revogação da medida, adotada pelo conselho na manhã de segunda-feira. Vinculada ao Ministério da Educação, a Ebserh foi criada para solucionar problemas de gestão de hospitais universitários. A empresa é constituída, segunda a UFPE, por recursos públicos, e submetida ao controle de órgãos governamentais.

Adesão - Entidades médicas de Pernambuco declararam apoio à mobilização dos estudantes contra a adesão do HC à Ebserh e divulgaram uma nota oficial. Confira o documento na íntegra:

O Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) e o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) vem a público se manifestar contra a adesão do Hospital das Clínicas (HC) à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e apoiar a mobilização dos estudantes que em defesa de uma universidade pública de qualidade ocuparam  a Reitoria da UFPE,  na ultima segunda-feira(02).

As entidades médicas defendem maior financiamento de forma direta para prover as necessidades de manutenção do hospital e a remuneração dos servidores, garantindo a permanência da autonomia da Universidade para gerenciá-lo.

A realidade vem à tona e mostra que o verdadeiro culpado pelo descaso e abandono do Hospital das Clínicas é o governo federal, que não investe em políticas públicas de saúde para estruturar as redes hospitalares, preferindo optar por privatizar unidades de saúde e hospitais em todo o País. link



0 comentários: