Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Polícia investiga revenda ilegal de ossuários em igreja no Recife

 (Foto: Gabriela Lisbôa/TV Globo)

A Polícia Civil de Pernambuco investiga a revenda ilegal de ossuários da Igreja de Santa Cruz, no bairro da Boa Vista, Centro do Recife. Segundo a denúncia, um funcionário do templo retirava as ossadas dos espaços, as escondia pela igreja e revendia os ossuários repetidas vezes. Uma equipe do Instituto de Criminalística (IC) esteve no local, na tarde desta quinta-feira (2), para recolher ossos encontrados em fundos falsos e assoalhos da igreja. As investigações apontam que ele cobrava de R$ 3 mil a R$ 4 mil por cada ossuário.

Segundo o advogado e interventor da Arquidiocese de Olinda e Recife, Ernesto Cavalcanti, somente mês passado foram achadas 53 ossadas na igreja. "Este homem, que trabalhava fazendo de tudo, sumiu e, depois de alguns dias, o clérigo foi esvaziar o armário do empregado e encontrou alguns ossos, então acionou a polícia, que os levou para o Instituto de Criminalística (IC), onde estão sendo identificados", explicou.

Um mandado de prisão foi expedido para o funcionário, mas ele encontra-se foragido. Após a primeira descoberta, foi feita uma grande limpeza na Igreja de Santa Cruz e novas ossadas foram encontradas, inclusive nas proximidades do sino, na torre do templo.

Igreja de Santa Cruz (Foto: Gabriela Lisbôa/TV Globo)Ossadas foram encontradas em várias partes da
Igreja de Santa Cruz, inclusive nas proximidades
do sino (Foto: Gabriela Lisbôa/TV Globo)

A Delegacia da Boa Vista está à frente das investigações. O responsável pelo caso, delegado Adelson Gomes, está de férias e a delegada Patrícia Domingos, da Delegacia de Rio Branco, assumiu as apurações temporariamente. Ela informou ao G1 que só irá se pronunciar após a divulgação da perícia do IC e do laudo do Instituto de Medicina Legal (IML).

Túmulos
Em novembro passado, a polícia já tinha instaurado inquérito para apurar um caso de superfaturamento na venda de túmulos no Cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. De acordo com a investigação, 34 irmandades da Arquidiocese de Olinda e Recife são proprietárias de cerca de 2 mil túmulos no cemitério. Embora ligadas à Igreja Católica, as irmandades são associações privadas de fiéis, com estatutos e administrações próprias. Segundo a polícia, pessoas ligadas às funerárias estavam envolvidas no esquema, que compravam as sepulturas por R$ 300 e as revendia por R$ 600 a R$ 800.

link

0 comentários: