Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

Entidades ligadas a PMs e bombeiros descartam greve durante o Carnaval


Deputado Joel da Harpa durante assembleia com PM. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem.

Deputado Joel da Harpa durante assembleia com PM. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem.

Por Marcela Balbino, repórter do Blog

Não faltaram insultos e protestos durante a assembleia desta terça-feira (10) para definir se haveria ou não greve da Polícia Militar durante o Carnaval. Apesar de a categoria não chegar a um consenso e se retirar do auditório do Centro de Convenções antes do fim da reunião, as entidades da categoria descartaram paralisação durante o período e afirmaram que voltarão para mesa de negociação com o governo.

Uma parte do grupo, insatisfeita com o resultado da assembleia, chegou a cogitar ir até a frente do Palácio do Campo das Princesas para reafirmar suas reivindicações, mas desistiu. A falta de uma liderança firme para conduzir o processo desmobilizou a categoria e dispersou o movimento. Eleito deputado estadual com mais de 19 mil votos, o soldado Joel da Harpa (PROS) ensejou repassar as propostas apresentadas para a categoria, mas não encontrou respaldo. O parlamentar, que ganhou corpo após a greve da PM em maio de 2014, discursou por mais de 45 minutos, mas sua voz não ganhou eco diante dos pares. Não eram raros gritos de "comprado" ou "governista".

Nessa segunda-feira (9), uma resolução da secretaria de Administração de Pernambuco (SAD) afirmou uma série de medidas que beneficiam a categoria. Dentre elas estão a promoção de 5.485 militares, o aumento de 60% no vale-refeição, que passará a ser de R$ 246,40, e o reajuste de 82,52% na Gratificação de Motorista, ficando com um valor de R$ 160 a partir de agora.

Apesar disso a insatisfação da categoria não foi sanada, pois a questão do reajuste salarial, uma das principais matérias na pauta de reivindicações, não foi atendida e a discussão sobre o assunto foi adiada para o próximo mês de junho.

O clima da reunião foi tenso, com membros da categoria gritando a insatisfação com as propostas do Governo e acusações a representantes de sindicatos. O grupo presente no auditório do Teatro dos Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, chegou a virar as costas para os condutores da reunião.

A dificuldade para se chegar a um consenso levantou a hipótese de que a categoria não possui um líder, com quem possa fazer negociações diretas com o governo. Isto foi rebatido pelo presidente da Associação de Cabos e Praças (Aspra-PE), José Roberto Vieira: "Não perdemos o controle, se tivéssemos perdido o controle eles teriam decretado greve hoje". O controle eles podem até não ter perdido, já o respeito…link

0 comentários: